Xpand Consultoria - A “mina de ouro” é agora o “poço do petróleo”?
Fale Conosco pelo WhatsApp

A “mina de ouro” é agora o “poço do petróleo”?

Desde sua descoberta, o petróleo tem sido uma verdadeira “mina de ouro” (talvez devêssemos mudar essa expressão para “poço de petróleo”). Ao redor do mundo, a maioria dos países, durante muito tempo, fez diversos investimentos para tentar descobrir mais reservas desse bem tão precioso para a humanidade (e, ao mesmo tempo, tão destruidor). Quem são os países que mais exportam essa commoditie? Como os governos utilizam dessa fonte de riqueza para a economia desses países? Como o preço afeta a produção?

É praticamente impossível pensar nas economias dependentes do petróleo e não lembrar do Oriente Médio. De acordo com o Observatory of economic complexity, a Arábia Saudita (maior produtor de petróleo do mundo), que possuía, em 2008 (em um dos grandes auges dos preços do petróleo) 80,9% de suas exportações concentradas no petróleo. Em 2018, as exportações da Arábia Saudita eram 62,7% vindas da exportação do petróleo. Apesar de continuar dependente, a Arábia Saudita parece começar a demonstrar algum interesse em diversificar sua economia, em especial com derivados do petróleo e produtos químicos.



Outro grande produtor e exportador de petróleo é a Rússia. Aqui temos um caso um pouco mais delicado. Enquanto a maioria das exportações de petróleo da Arábia Saudita é para a China e para os EUA, a Rússia tem como maior cliente e dependente a Europa (tanto em petróleo, quanto em gás natural). Essa dependência da Europa Ocidental é tanta que, diversos países europeus têm se juntado para criar alternativas e, de acordo com o financial times, a Alemanha tem feito grandes esforços para criar um oleoduto entre a Europa e Turcomenistão, numa tentativa de reduzir essa dependência.

A economia da Rússia também já foi mais dependente do petróleo bruto. Em 2012, 38,2% das exportações eram dessa commoditie, e em 2018, 31,3% (dados do Observatory of economic complexity). A redução da dependência do petróleo não provém de um aumento em


investimentos estatais em outras áreas da economia (o que seria esperado), mas sim de investimentos no próprio petróleo, o que fez com que aumentasse a quantidade de exportação de petróleo refinado e dos derivados, além de aumento de exportação de outras commodities, como os produtos vegetais e os minerais.

As exportações e importações são muito afetadas pela política de preços e pelos eventos políticos que ocorrem. Como mostrado no gráfico “Importação de petróleo Bilhões de USD” a quantidade de dinheiro movimentada pelo petróleo varia junto com as variações nos preços (que é explicada em outro dos nossos artigos: “As principais influências no preço do petróleo”), já que,


o gráfico que mostra a produção do petróleo (no começo do artigo) é bem regular. Sendo assim, os países dependentes da exportação do petróleo têm sua economia muito afetada quando os preços caem.

Portanto, o petróleo é uma ótima fonte de recursos para os países que o detém, porém, ele não deve ser a única fonte de riqueza. Momentos de baixa de preços, como em 2009, fazem com que essas economias sejam impactadas, por não possuírem outra grande fonte de gerar valor. Da mesma forma, o futuro nos aguarda com mudanças nos combustíveis e nas fontes de energia, como escrevi em “Até onde podemos reduzir custos com mudanças de combustíveis”, que fará ainda mais necessária a diversificação econômica desses países, para que no futuro não sejam vistos como os “poderosos do passado”.

CATEGORIAS

Inscreva-se

Cadastre-se com seu endereço de e-mail para receber novidades e atualizações.

Fale Conosco pelo WhatsApp