Xpand Consultoria - Vale a pena instalar painéis solares fotovoltaicos na minha empresa?

Vale a pena instalar painéis solares fotovoltaicos na minha empresa?

A Energia Solar Fotovoltaica se tornou popular na última década no Brasil, mesmo se tratando de uma fonte de energia amplamente consolidada em diversos países do mundo. Esse aumento de projetos foi impulsionado pela regulamentação da Geração Distribuída no país pela ANEEL com a NR 482/2012, posteriormente atualizada pela NR 687/2015, responsáveis por estabelecer as condições para o acesso de micro e minigeração distribuída de energia elétrica.

Mas como essas Resoluções Normativas se relacionam com a energia solar?

De forma resumida, as NR 482 e 687 permitiram o acesso individualizado à Geração de Energia Elétrica por fontes renováveis, além de tornarem possível que o excedente da energia produzida seja convertido em créditos nas faturas dentro de um período de 5 anos. Algumas modalidades foram regulamentadas com o intuito de permitir o maior acesso à Geração Distribuída, fazendo com que não seja necessário instalar placas fotovoltaicas no mesmo local da unidade consumidora, embora ambas as unidades, geradoras e consumidoras, precisem estar sob a mesma titularidade (CPF/CNPJ) e na mesma região das Distribuidoras.

Todo esse ambiente favorável à geração de energia elétrica por fontes renováveis foi responsável por um aumento significativo de projetos fotovoltaicos nos últimos cinco anos, que trouxeram redução de custos expressivos com energia elétrica, principalmente para os setores residencial e comercial. Entretanto, para entender se a instalação de sistemas fotovoltaicos é realmente viável em uma empresa, alguns fatores precisam ser levados em consideração: tais como o Consumo de Energia, Localização e o Payback.

O Consumo Energético é um fator que precisa ser avaliado com cautela para a adoção de projetos fotovoltaicos, pois existe a opção do Ambiente de Contratação Livre para aquelas empresas com demanda contratada superior a 500 kW, onde é possível negociar os contratos de energia com as comercializadoras e não apenas com a distribuidora, além de permitir a contratação de energia proveniente de uma usina solar, sem a necessidade de investimento em um projeto próprio.

Outra avaliação fundamental para o projeto é sobre a localização do sistema fotovoltaico, mesmo se realizado na própria empresa ou em outro endereço, uma vez que a localização é fundamental para estimar a irradiação solar média no local para avaliar a capacidade de geração das placas ao longo do ano.

Embora a instalação e posterior manutenção das placas sejam rápidas e a geração da sua própria energia possa se tornar realidade em um curto período, desde sua fase inicial até conclusão do projeto, o retorno sobre esse investimento dificilmente ocorrerá em menos de 6 anos, ou seja, é necessário um planejamento e pensamento de longo prazo para a execução desse tipo de projeto sem que haja muitas dores de cabeça, situação que não retrata a realidade de muitas empresas brasileiras. Considerando que a vida útil das placas comercializadas atualmente gira em torno de 25-30 anos, o investimento nas placas fotovoltaicas é realmente atrativo e permite o consumidor ficar livre das oscilações da tarifa de energia que ocorrem principalmente nas épocas de estiagem e diminuição da geração de energia nas hidrelétricas.

Do ponto de vista socioeconômico e ambiental, é indiscutível que o investimento em projetos fotovoltaicos possui vantagens significativas, como o aumento de empregos nesse setor, geração de eletricidade renovável, limpa e com baixa emissão de gases de efeito estufa, considerando todo o ciclo de vida. Finalmente, é necessário estudar e avaliar com muita cautela as variáveis para a tomada de decisão neste tipo de projeto, para então poder considerá-lo como um ótimo investimento de longo prazo.



CATEGORIAS

Inscreva-se

Cadastre-se com seu endereço de e-mail para receber novidades e atualizações.

Fale Conosco pelo WhatsApp